#


https://caririnoticias.com.br/saiba-como-anunciar
https://www.instagram.com/msjoiasfolheada/
https://caririnoticias.com.br/wp-content/uploads/2022/06/uvaeverdedecoracoescaririceara.png

Com o intuito de diminuir os índices de violência contra a mulher, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho (Sedest) lançou, na tarde desta quarta-feira (11), o projeto Das Marias. O objetivo da ação é reeducar homens agressores através de acompanhamento psicossocial com equipe especializada do Centro de Referência da Mulher (CRM).

Segundo a titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Juazeiro do Norte (DDM), Débora Gurgel, a terra do Padre Cícero é a cidade com o maior número de casos de violência contra a mulher no interior do Ceará. O município perde apenas para a DDM de Fortaleza em número de registro de inquéritos instaurados.

É diante dessa realidade que a Sedest lança o programa como forma de enfrentamento articulado que propicie, além do atendimento integral, humanizado e capacitado às vítimas, um impacto maior na diminuição da reincidência da violência, bem como na mudança do comportamento sexual desses homens.

“A prática puramente punitiva não resolve o problema, não adianta trabalhar apenas com a mulher agredida, é preciso além das campanhas preventivas, que o agressor, ator principal desse tipo de violência, seja acompanhado psicossocialmente, caso contrário ele vai voltar a agredir”, afirma a diretora da Proteção Social Especial, Raquel Pinheiro.

O projeto inovador terá como porta de entrada a Polícia Militar, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e o serviço de atendimento psicossocial e jurídico desenvolvido no CRM de Juazeiro do Norte, onde serão prestados diversos tipos de serviços como: acolhimento, atendimento Inicial, atendimentos individuais e atividades em grupos, como parte do cumprimento da pena a ele imposta.

Durante as reuniões obrigatórias, serão trabalhados temas como: gênero, autoestima, disciplina, violência doméstica contra a mulher, patriarcado, direitos das mulheres, constituição das relações familiares, dentre outros. O projeto funcionará como um espaço para a verbalização dos autores do fato que trocarão experiências em busca de entender o caráter negativo da violência doméstica.

Ações

O projeto soma com outras medidas que estão sendo implementadas em Juazeiro do Norte para diminuir os índices de violência contra a mulher. Uma delas é a “Patrulha Maria da Penha”, projeto de lei aprovado que acompanhará, através da Guarda Civil Municipal (GCM), as vítimas que estão sob medidas protetivas.

Quatro guardas civis irão atuar 24 horas por dia, inclusive nos finais de semana, a partir da próxima segunda-feira (16). Eles visitarão vítimas com medidas protetivas. Com os agentes sempre por perto, é esperado que os agressores mantenham-se longe destas mulheres.

Além disso, há um mês, o governador Camilo Santana anunciou a criação da Casa da Mulher Cearense em Juazeiro do Norte. A expectativa é que a construção do equipamento no Cariri inicie ainda neste ano. O projeto segue o mesmo modelo da Casa da Mulher Brasileira, que atua em Fortaleza no atendimento humanizado e especializado para mulheres em situação de violência.

A Casa da Mulher Cearense vai dispor de estrutura para atuação de Delegacia da Mulher, Defensoria Pública, Ministério Público e Juizado Especial, no mesmo ambiente destinado a acolher e a orientar as mulheres vítimas de violência doméstica. Cada casa contará com um núcleo de estimulação econômica com capacitação e crédito para aquelas que desejam abrir o próprio negócio.

Por Diário do Nordeste

Comentários de Facebook
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Junior Moral
Carregar mais em Cariri

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

14 − dois =

Verifique também

Conta de luz no Ceará deve ter queda de 10% a partir de agosto, diz Sindienergia

Redução também vai ser sentida nos setores de telefonia e internet, além dos combustíveis,…